Dados do cliente
Dados do devedor
Títulos
RELAÇÃO DE DÉBITOS
Leia atentamente:

Em São Paulo à partir de 30 de março de 2001 , com a entrada em vigor das disposições da lei Estadual nº 10.710 / 2.000 , o credor que quiser protestar um título não precisará mais efetuar o depósito ou pagamento prévios dos valores referentes às despesas com o protesto. Agora , os valores devidos decorrentes de custas , emolumentos e demais despesas serão pagos no ato elisivo do protesto , ou , quando protestado o título , no ato do pedido do cancelamento , salvo na sustação judicial definitiva que serão cobrados da parte vencida. Dessa forma , as despesas com a apresentação do título para protesto não mais serão suportadas pelo credor , exceto quando este desistir do protesto , retirando o título do cartório. O devedor pagará os valores devidos pelo protesto na ocasião do pagamento do título em cartório , ou na ocasião do cancelamento do protesto , valendo ressaltar que , neste último caso , os valores devidos englobarão o protesto e o cancelamento. Outra novidade da referida lei é o fato de que todos os documentos considerados como títulos executivos judiciais ou extrajudiciais pela legislação processual, inclusive as certidões da dívida ativa inscritas de interesse da União, dos Estados e dos Municípios, estão sujeitos a protesto, seja comum ou para fins de falência.